Como você encara a crise

Foto: Shutterstock
Foto: Shutterstock
Por Humberto Carneiro

Qual seria a primeira dica que eu daria para sairmos do momento de crise?

Primeiro a gente tem que sair de todo pensamento negativo, participar de pensamento positivo de pessoas que olham para a frente. Afinal, enquanto uns choram, outros vendem lenços.

O que podemos fazer para mudar esta posição hoje? Parar de sermos apenas ouvintes e passar a fazer parte deste processo. Infelizmente hoje temos problemas de credibilidade, confiança, gestão pública e para melhorar isso é preciso participar, sermos ativos. Temos que ajudar o sistema de gestão. Momentos de crise trazem muitas oportunidades. Citamos o exemplo do que Uberlândia está fazendo, através do G7, formado por sete das mais representativas instituições sociais na região do Triângulo Mineiro, como ACIUB, CDL, FIEMG e outras, e de uma ONG formada por pessoas não partidárias como engenheiros, médicos, advogados, aposentados.

A cidade está montando o observatório social, com o objetivo de auxiliar a gestão pública. Exemplo de como irá funcionar: se o Ministério Público recebe uma denúncia de que o asfalto de Araguari está afundando, o Ministério Público poderá demorar até um ano para enviar um de
seus técnicos. A ONG poderá enviar uma pessoa para verificar se o asfalto foi feito de forma correta, dentro das especificações de licitação, e permite também questionar os preços de materiais adquiridos.

Essa Matéria completa você encontra na edição de dezembro 2015 da revista Mercado. Adquira já a sua assinatura para leitura integral.

Compartilhar

Comentar

Espaço do anunciante