Crise atinge Prefeituras e arrecadações caem até 40%

crise

Era questão de tempo para que a crise financeira, em 2015, atingisse os cofres das cidades brasileiras. A desaceleração econômica já tem propiciado a queda de arrecadação e, consequentemente, combalido as receitas dos municípios. E é neste cenário de recessão que as prefeituras do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba alegam tentar sobreviver ante a uma queda mensal de até 40% na entrada de recursos oriundos, sobretudo, do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

A situação de crise financeira fez com que, em agosto deste ano, as prefeituras regionais aderissem a um movimento de paralisação organizado pela Associação Mineira dos Municípios (AMM). A manifestação tomou grandes proporções e obrigou o Governo de Minas a tomar medidas ante aos pedidos de ajuda.  Dentre as ações ordenadas pelo governador Fernando Pimentel (PT), a principal garante que a Lei Robin Hood, que distribui parte do ICMS devido aos municípios, fosse reformulada em parceria com a AMM.

Compartilhar

Comentar

Espaço do anunciante